SindicarioNET - Sindicato dos Bancários de Campo Grande-MS e Região
CUT BRASIL Contraf FETEC

Caixa Econômica Federal

Imprimir e-mail aumentar a fonte diminuir a fonte
Publicado em 7 de Dezembro de 2017 às 16:12
Sindicato realiza ação em defesa da Caixa 100% pública

 

Os diretores do Sindicato dos Bancários de Campo Grande e Região visitaram várias agências da Caixa Econômica Federal nesta quinta-feira (7). A ação faz parte do movimento nacional realizado por empregados da Caixa e movimentos sociais contra a abertura de capital do banco.

 

Em Campo Grande, os dirigentes sindicais se dividiram em grupos e, em cada unidade bancária, entregaram panfletos e conversaram com a população e os funcionários que serão diretamente afetados, caso a instituição seja privatizada. “Nós apresentamos números que comprovam que é necessário manter a Caixa 100% pública. É uma instituição que tem um importante papel social e econômico”, disse o presidente do SEEB-CG, Edvaldo Barros.

 

Ele explica ainda que a mobilização acontece justamente no dia em que está sendo realizada a reunião do Conselho de Administração da Caixa, que pode apreciar mudança no estatuto com intuito de transformá-la em uma Sociedade Anônima.

 

A Caixa financia políticas sociais, como “Minha Casa Minha Vida” e Bolsa Família, e projetos que garantem desenvolvimento e geração de renda em diversos setores como habitação, saneamento básico, agricultura, esporte, cultura e educação.

 

O secretário de esportes, Jadir Fragas, que é funcionário da Caixa, também participou da ação. “Nossa intenção foi mostrar para a população qual o papel da Caixa como banco público, onde ela atua, e falar dos riscos da abertura de capital, pois a Caixa não sendo pública, não haverá interesse dos outros bancos em atuar nessas áreas”, destacou.

 

Praticamente todos os brasileiros tem alguma ligação com o banco. Com 156 anos de história, a Caixa é responsável ainda pela administração dos R$ 487,3 bilhões do FGTS e pelo pagamento dos R$ 176,6 bilhões (até junho) em benefícios como seguro desemprego, abono salarial e PIS.

 

Outra questão levantada pelo sindicato é que o desmonte dos bancos públicos, como a Caixa, faz parte da estratégia do governo federal para tentar justificar o processo de privatização. “As ações do governo de não substituição de empregados, de não contratação de novos funcionários, deixam as agências em situação precária de atendimento. E mesmo com todo o empenho dos empregados, muitas vezes, não é possível entregar o atendimento adequado à população. É uma forma de precarizar as condições de trabalho e pressionar a entrega ao capital privado”, analisou Jadir Fragas.

 

Por: Assessoria de Comunicação do SEEB-CG

Entre em Contato

Jadir Fragas Garcia

Secretário de Esportes e Lazer

Moisés Graciliano Arguello

Secretário de Finanças

Walter Ribeiro Castro

Conselho Fiscal

Gilmar Antônio Gomes de Carvalho

Suplente do Conselho Fiscal

Coelho - João Manoel Andrade Coelho

Suplente do Conselho Fiscal

Ricardo Inácio Maciel

Suplente do Conselho Fiscal

Arilson Pedro Aranda

Suplente da Diretoria Administrativa

Donete Silvério de Souza

Suplente da Diretoria Administrativa

Marileda Ourives de Souza

Suplente da Diretoria Administrativa

Elizabet Lousada Felipe

Diretores Zonais

Valdecy Martins de Souza

Diretores Zonais

Calvino Braga de Araújo Júnior

Suplente da Diretoria Zonal

Ricardo Hofstadler Leonardo

Suplente da Diretoria Zonal

Sindicato dos Bancários de Campo Grande-MS e Região de Mato Grosso do Sul - Rua Barão do Rio Branco, 2652 - Jardim dos Estados

Campo Grande-MS - Telefone: 67 3312-6100 / Fax: 67 3312-6116